sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

19º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos

São José, nos dias 12 a 15 de novembro, sediou um belíssimo evento para os automobilistas: o 19º Encontro Sul-Brasileiro de Veículos Antigos, realizado no Centro Multiuso.

Antes de mostrar os principais carros do evento, devo cumprimentar o Veteran Car Clube de Florianópolis (e extensivamente todos aqueles que fizeram o evento): a organização estava à altura: todos os carros expostos tinham a devida identificação, segurança, sanitários impecáveis e até uma ambulância ao dispor dos visitantes.

Feitos os elogios necessários, vamos aos carros. Por conta da fartura de modelos- e marcas- farei uma singela divisão por marca e modelo, a que se segue nos próximos tópicos:
Bela Alfa GTV, ladeada por um raríssimo Willys Interlagos cupê
Um belíssimo GTV amarelo foi,em minha opinião, o destaque da Alfa Romeo. Carro em bom estado de conservação, com interior muito bem cuidado. Excetuando as rodas, um carro bastante original.

A Buick, famosa por seus motores de oito cilindros em linha, teve como representante-mor este Super Eight 1947 conversível.

Super Eight Convertible: desempenho, luxo e conforto!
O interior é bastante interessante, refletindo os conceitos da época: banco dianteiro inteiriço (sem cintos de segurança) compondo o interior monocromático, painel metálico da cor da carroçaria, alavanca de acionamento da transmissão na coluna de direção, volante enorme e outros detalhes tão ricos. E reparem o relógio instalado à frente do passageiro. Provavelmente pra cronometrar o desempenho do carro...

Notem o enorme quadrado cromado no meio do painel: é o rádio.
A placa preta não engana: o Buicão é totalmente original- e lindíssimo ao vivo! Dá pra imaginá-lo andando (forte) nas estradas dos anos 40/50... Vale mencionar que o auto tem transmissão de acionamento manual, em descompasso com a maioria dos carros ianques que desembarcaram por nossas terras.


Picape Buick 1924  fotografada momentos antes de voltar para casa...
Outro destaque do evento é esta simpática picape, fabricada em 1924. A combinação de cores é muito interessante, fugindo do protocolar preto que dominava a época (coisas do Ford T...). Notem as rodas com raios de madeira e a buzina cromada. Belíssima pick-up, que foi restaurada em 1999. Ela, assim como outros caminhões e picapes, faz parte do acervo da Relicar, de Araranguá/ SC.

Imagine este frente surgindo em seu retrovisor a 170 km/h na estrada pedindo passagem...
Se fosse pra escolher um carro pra ilustrar o“Amercan Way of life”, certamente o Caddy ’59 seria a melhor escolha. Os Cadillac são superlativos: só de barbatanas têm 1,07m de altura (comprimento, 571 cm; largura, 204 cm; altura, 138 cm; entre-eixos, 330 cm). Seu possante motor V8 de 6,4 litros e 325 cv cavalos trabalha em conjunto com a transmissão automática de três velocidades, os quais fazem as 2,295 toneladas de aço e cromados chegar a vigorosos 180 quilômetros horários! 

A direção com assistência hidráulica, o eficiente condicionador de ar, os vidros e capota de acionamento elétrico fazem do ’59 um carro que não deve nada aos atuais. Não por outro motivo que estava exposto no saguão de entrada do evento.


Claro que todos os elogios são extensivos aos demais Caddy's 1959! Este trio estava perfilado no saguão de entrada do eventos, fazendo o visitante se sentir como se estivesse num concessionário Cadillac. Em plena Las Vegas!
Dos importados da Chevrolet destaco este simpático sedã 1952. Este é um dos meus antigos preferidos, pois trata-se de um carro bastante ágil- e robusto. Muitos destes serviram como táxi nas praças tupiniquins.




Interessante detalhe da calota- e da roda- combinando com a cor da carroçaria do sedã


O interior impecável do Chevy '52: volante de grande proporção,bancos inteiriços e com a alavanca de acionamento do câmbio na coluna de direção, elementos comuns até a década de '70.

Este sedã está num estado muito bom de conservação, tanto por dentro e por fora. Tive a oportunidade de ver este Chevrolet andando pelo evento e sentí-me como se estivesse numa das ruas de Florianópolis apreciando um belo sedã zero-quilômetro. O carro roda com a justeza dos recém-saídos da revenda, sem os "nhec-nhec" que um carro de 58 anos poderia ter. A cor verde-abacate confere ainda mais raridade a este modelo. Parabéns ao proprietário!

Interior não era lá muito generoso; mas o motor compensava qualquer aperto...
Este Corvette 1962 é superlativo. Dispensa maiores comentários! Ele dividia o saguão com os lindíssimos Caddy's.

Impala 1968, da época em que tamanho era sinal de luxo- e status
Havia outros Impalas no evento: um cupê 1961, um sedan 1962 e um SS 1965. Mas este sedã '68, em meu acanhado modo de ver as coisas, é o mais significativo: é de uma leva não tão comum de Impalas- e serve de comparativo com os nacionais. Vale lembrar que o Opala nacional é de 1968; mesmo ano do modelo fotografado. Nosso Opala era mais europeu, por assim dizer, por causa de seu tamanho menor. Apesar de que este Impala  ter o V8 mais modesto da linha '68 (o V8 307, com 200 cv brutos), ele era mais potente que os Opala nacionais.

Belo Opala sedã 1973, que ainda ostenta as placas amarelas.
Um Opala que se destacou foi este sedã De Luxo 1971 equipado com o motor 2500. Impecável, possui todos os seus detalhes originais, inclusive em seu interior. O carro apresenta alguns efeitos do tempo, que só confirmam a originalidade deste sedã.

Belo Opala De Luxo '71 fugindo do calcinante sol de novembro...
Interessante detalhe da frente do Opala De Luxo 1971

Lindo Bel Air 1954, impecável.



Desta vez, um Bel Air 1951 em excelente estado de conservação.


Interessante notar que a cabina deste Chevrolet 1925 é em madeira- e sem portas. Quanta evolução!

Caminhão Chevrolet 1925 em perfeito estado de conservação.

Aguardem as próximas postagens! Ainda há muito o que se mostrar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço está sempre aberto para sua colaboração.
Os comentários são sempre bem-vindos.