sábado, 10 de março de 2012

História do Chevette (1978)


O "novo" Chevette. (Extraído da QR de Setembro de 1977)
1978- Plástica Facial.

A ansiedade de mostrar as novidades da linha 1978 era tanta que a Chevrolet não conseguiu esperar mais. Em setembro de 1977, a Quatro Rodas estampava em sua capa a novidade: habemus Chevette '78.

A fonte de inspiração: Camaro '76 (foto Best Cars Web Site).
O desenho da frente do pequeno sedan era claramente inspirado no Camaro 1976 (cuja foto acima enfeita esta postagem), um parente estadunidense muito distante do nosso sedã. Vai ver o Chevette olhou o primo distante, naqueles coloridos portfólios de muscle car, e pensou: "quero ser parecido com ele". Tudo bem, não é uma cópia exata do Camaro, mas os desenhistas daqui beberam naquela fonte. Por isso, não acho que o desenho ficou ruim. Ao contrário, nosso sedã ganhou muito estilisticamente.

Foto: blog Showroom Imagens do Passado.
A nova frente emprestou um estilo leve e agradável do que o adotado primeiramente, de “cunha invertida”. Claro, substanciais alterações foram feitas: a grade passou a ser bipartida, com contornos cromados e o logotipo Chevette instalado na grade direita; o capuz do motor passou a abrir até a altura dos para-choques; os faróis, ainda redondos, ganharam molduras aerodinâmicas, mas os indicadores de direção continuaram instalados abaixo do para-choque. Desnecessário falar muito sobre as vantagens aerodinâmicas da nova frente, outro bom argumento explorado pela publicidade da Chevrolet.

Foto: blog Showroom Imagens do Passado.
Foto: blog Chevette Dicas e Venenos (QR 12/77)
As mudanças estilísticas estavam na dianteira, apenas. A traseira e as laterais continuaram como em 1973. Mas já era algo de novo, afinal. Até porque a concorrência andava animada: o Corcel II 1978, o avesso do Corcel 77, foi lançado um mês depois do facelift. A Chrysler também preparou mudanças no Polara. O mercado de carros pequenos era concorrido, leitores...
No interior foram feitas pequenas mudanças: um novo volante, de quatro raios, equipava todas as versões. Na versão GP, o acabamento central, na verdade o acionador da buzina, era diferente das outras versões, com desenho mais “esportivo”.

Foto: Reumatismo Car Clube.
Outra reformulação foi feita: a versão de entrada passou a ser chamada apenas de Chevette. O nome “especial” foi para o brejo, assim como aconteceu com a versão homônima do Opala. Porém, se economizaram no nome, melhoraram o acabamento: o revestimento interno em carpete passou a ser de série (substituindo o revestimento em borracha corrugada), assim como os bancos – de encosto baixo – reclináveis milimetricamente.

Foto: blog Showroom Imagens do Passado.
A versão L do Chevette não trazia grandes inovações. A SL também não, exceto a inserção de um logotipo “SL” instalado no lado direito do painel (o logotipo também era instalado nas versões L e GP, na básica o espaço ficava vazio). Apesar das novas padronagens de tecido, novas cores, além do preto e do bege, não foram oferecidas em 1978.

Foto: blog Showroom Imagens do Passado.
Ao seu turno, a versão GP sofreu modificações. Isto mesmo, versão GP. Talvez a lógica apontasse para se fazer a versão GPIII, mas, sabe-se lá o porquê, a Chevrolet simplificou o nome. Nesse embalo, simplificou também a pintura: apenas o capô recebia pintura preta.

Ainda falando na dianteira, reestilizada como o restante da linha, não havia nenhum logotipo ou cromado. A porção superior do para-choque era pintada na cor da carroçaria, assim como os retrovisores e as maçanetas das portas. As faixas laterais deram lugar ao logotipo GP, aplicado na altura das lanternas traseiras. Aparentemente, o GP poderia ser encomendado em quatro cores, como bem lembrou o nosso leitor atento: ouro-metálico, branco, vermelho e prata. Quanto à parte mecânica, nada foi alterado.

Somando-se todas as vendas de todas as versões, temos o total de 86.384 unidades vendidas.

6 comentários:

  1. Corrigindo sobre o GP 1978, também era oferecido na cor branca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto já foi corrigido. Muito grato pela informação!

      Excluir
  2. muito bom o post sobre o chevette pois tirei uma duvida, pois tenho um 79 e ele não veio com tampa de porta luvas console central do cambio e nenhum emblema do lado igual ao sl gp e l, tinha duvidas se esse que tenho era l ou não. agora ja sei então que o que tenho aqui e um modelo básico, legal gostei....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você tem um raro modelo básico, que ainda tem as suas características originais. Com o passar do tempo, a maioria dos modelos básicos era incrementada com acessórios (como os emblemas, console, bancos com encosto alto, etc) por isso o seu Chevette 1979 é bem raro.

      Parabéns pelo carro e grato pela visita!

      Excluir
  3. Que bacana essa história, tenho um modelo basico aqui tbm, gostaria de enviar fotos para que tirem dúvidas. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem um ótimo carro em suas mãos, o Chevette, mesmo na versão básica, é um dos carros mais interessantes que já guiei. Se quiser, mande as imagens para o meu e-mail que terei prazer em responder as suas dúvidas: douglasantunespacheco@gmail.com

      Abraço e obrigado pela visita e comentário!

      Excluir

Este espaço está sempre aberto para sua colaboração.
Os comentários são sempre bem-vindos.